quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

500 euros


A maior parte dos turistas viaja com pouco dinheiro vivo e prefere pagar suas despesas com cartões de crédito. Outros preferem carregar o dinheiro das férias em espécie, evitando assim enfrentar na volta a dívida acumulada nos cartões, uma armadilha montada pela facilidade de pagar sem sentir que o dinheiro escorre por entre os dedos.

Viajar com dinheiro ao invés de crédito significa fazer economia durante o ano e depois comprar a moeda estrangeira que será investida na boa vida das férias. Na volta, nenhuma dívida a pagar.

Se você quiser exercitar uma forma ainda mais econômica de viajar pela França e voltar com o mesmo dinheiro, transforme seus reais em notas de 500 euros, porque assim você estará impedido de gastar. Nas lojas e nos restaurantes, poucos comerciantes terão troco para uma cédula de 500, que corresponde à metade de um salário mínimo.

Alguns investigarão a nota virando-a de um lado e do outro, contra a luz, outros vão olhar desconfiados, na suspeita de que você esteja passando dinheiro falso ou seja o próprio falsário. E depois dirão que, infelizmente, não dispõem de numerário para lhe dar o troco, preferem a garantia do cartão.

Para trocarem uma nota de 500 euros, os bancos exigem que você seja cliente. Bem que você gostaria de ser cliente de um banco francês na França. Mas com a crise que atacou as economias desde fins de 2008, pouca gente anda com 500 euros e poucos já viram uma nota que represente tanto valor.

Você voltará, então, com o mesmo dinheiro com o qual viajou.
Postar um comentário