terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Stieg Larsson


Stieg Larsson morreu jovem, em 2004, de um ataque do coração. Tinha apenas 50 anos mas deu importante contribuição à literatura policial com três romances deixados inéditos e que formam a trilogia conhecida por Millenium. Já vendeu 15 milhões de exemplares em todo o mundo e acaba de ser levada ao cinema em produções suecas.

No Brasil, os três livros tiveram como títulos Os homens que não amavam as mulheres, A Rainha do Castelo de Ar e A menina que brincava com fogo, publicados pela Companhia das Letras. Três histórias com os mesmos heróis: uma jóvem desajustada e talentosa e seu companheiro, um jornalista investigativo, sócio da revista Millenium, que empresta o nome à trilogia.

Os livros representam três bons momentos da literatura noir da Suécia e possúi os ingredientes dos bons policiais: mistério, ação, sensualidade e surpresa. A heroina Lisbeth Salander é um personagem marcante: hacker competente, bissexual, amante impetuosa e detetive com uma centelha de gênio. Uma bela leitura de carnaval para quem procura distância do carnaval.

Um comentário:

Lea Maria disse...

Celso, fiquei muito interessada no sueco. O blog continua ótimo. pelando de quente, mas muito bom.
Para amanhã, metereologia anunciando outros 40 graus.
Continuo mergulhada no India, do Carrière.
Abs.
LM