sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

A escuridão


Diante do humilhante calor de 41 graus com sensação de 50 que fez ontem no Rio, me refugiei no cinema sem olhar que filme estaria sendo exibido. Entrei na sessão que estava a começar e assisti a O Fim da Escuridão (The Edge of Darkness), de Martin Campbell, que já fez filmes de 007 e já dirigiu, para a TV americana, uma minisérie com a mesma história.

É um drama policial misturado a uma conspiração atômica. Mel Gibson faz o papel principal. Ele é um ator de formação clássica. Já foi dirigido por Franco Zefirelli, em Hamlet, e dedicou muitos anos ao teatro. Mas optou por fazer carreira no cinema comercial. Deu-se bem, dirigiu alguns filmes razoáveis e deve ter ficado rico.

Aos 54 anos, ele parece envelhecido e sua aparência deve refletir os problemas recentes em sua vida pessoal. Fervoroso católico, políticamente aliado à Direita, separou-se da mulher, dirigiu alguns insultos aos judeus pelos quais teve de pedir desculpas e confessou problemas com o alcoolismo.

Depois de algum tempo parado, parece que voltou a beber.
Postar um comentário