domingo, 2 de fevereiro de 2014

Sobre a loucura

As manifestações humanas de loucura são formas de enfrentamento e desafio diante do que talvez seja o mundo real. Assim como o são a embriaguez, o sonho e a divagação sem os limites da lógica, na direção de horizontes desconhecidos. Refugiar-se no mito, na religião e nas crenças transcendentais são formas assumidas pela imaginação provocadas pela dúvida sobre se existe a realidade, como tem sido descrita pela ciência.

A existência da arte, da poesia e da busca pela beleza, em todas as suas formas, representam o confronto com o mundo que se convencionou chamar de real. Assim como também o amor, sublimação do instinto sexual, cuja existência garante a espécie e sua sobrevivência.


A exata noção do mundo como realidade, e não como vontade e representação, seria insuportável para o ente humano, como atesta o legado dos suicidas. Foi assim que o homem criou a arte, submeteu-se ao amor e mergulhou no desconhecido.
Postar um comentário