segunda-feira, 14 de outubro de 2013

No bar

No bar ao lado do mercado, na pequena cidade francesa, um casal está sentado a uma mesa, ela bebe vinho rosé, ele cerveja. É o princípio do outono, as folhas dos plátanos estão amarelecidas e já começaram a cair. Ambos passaram um pouco da meia idade, ele usa um pequeno brinco na orelha esquerda, ela não consegue disfarçar a dentadura e tem os cabelos desarrumados.

Ele acaricia as suas mãos e depois, com surpreendente agilidade, tira papel e fumo do bolso da camisa e faz um cigarro, como se fazia antigamente. Tem um nariz grande e vermelho, é magro e inquieto, bebe sem parar. Ela olha para ele apaixonadamente.

A tarde tem um tom cinzento, há pouca gente na rua. Os bandos de estorninhos negros e barulhentos já começaram a chegar e procuram entre as folhas das árvores um lugar para passar a noite. O bar está quase vazio, a mulher continua a olhar para o homem e de súbito começa a chorar discretamente, um choro constrangido, como se não quisesse chorar mas não podia evitar.


Postar um comentário