sábado, 28 de setembro de 2013

Os automóveis

O automóvel trouxe dinâmica nova para os deslocamentos humanos. Saudado como uma revolução civilizatória, colocou Henry Ford no panteão dos heróis realizadores, mudou a cara das cidades, inaugurou um novo sistema de produção capitalista e transformou-se numa fonte de estresse urbano.

O transporte de um lugar para outro, nas cidades contemporâneas, muitas vezes é mais demorado do que o simples caminhar. O gás carbônico que envenena os ares, a falta de lugares para estacionamento, os desastres fatais, as despesas com alargamento de ruas e estradas significam a negação do conforto prometido pelos anúncios assinados pela indústria.


Aos poucos, transformou-se num ícone. Símbolo de status social, fonte de prazer e aventura, mas também máquina da morte. Criado para servir ao homem, o automóvel passou a ser cultuado e transformou-se em objeto de desejo e de cuidados.
Postar um comentário