sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Aeroporto

Com 62 milhões de passageiros passando por ano em seus salões, corredores e balcões, o Aeroporto Charles De Gaulle faz o Galeão parecer um edifício acanhado. Espécie de esquina do mundo, os tipos humanos diversificam-se em cor, cabelos, roupas e falas. Na chegada matinal dos vôos, mulheres e homens, algumas crianças, todos mal-dormidos enfrentam as filas enormes, demonstram alguma impaciência, submetem-se aos controles de imigração e de segurança.


Durante o vôo, as duas senhoras palestinas ao meu lado ainda seguiriam para Israel, enfrentando mais uma conexão. Elas tinham vindo do Chuí, no Rio Grande do Sul. O chinês do banco da frente fotografava tudo. O sono é difícil neste vôo de onze horas. A leitura, o vinho, o pensamento, nada ajuda a relaxar e dormir.
Postar um comentário