terça-feira, 23 de dezembro de 2014

O gato negro

As crenças medievais e a perseguição religiosa às heresias foram responsáveis por crimes em nome da fé, violência em nome de Deus e desastres provocados pela ignorância e o medo. A caça aos acusados de bruxaria, queimados nas fogueiras da Inquisição, levou ao quase desaparecimento dos gatos nos países europeus, pois acreditava-se que eles eram os animais de estimação das bruxas e por isso deviam também ser mortos.

Ainda hoje há gente que odeia ou tem medo de gatos, um resquício da mentalidade que reinou na Idade Média. A superstição violenta e cega cobrou no entanto seu preço com uma tragédia. A matança dos gatos fez crescer o número de ratos e a peste bubônica se espalhou pelo continente. Chamada de peste negra, matou mais da metade da população da Europa.


O gato negro foi o mais perseguido, torturado e sacrificado. A ignorância associa a cor preta ao mal e à escuridão que assusta. Rituais de magia e religiões primitivas continuam a sacrificar gatos negros nas sextas-feiras sombrias da estupidez humana, incapaz de compreender sua misteriosa beleza.
Postar um comentário