quarta-feira, 6 de novembro de 2013

O livro

As livrarias virtuais batem recordes na venda de e-books mas o livro em seu formato tradicional de papel ainda ocupa as estantes. Muitos acham que ele nunca desaparecerá na forma em que o conhecemos porque haveria a necessidade humana de pegar, cheirar, manusear um objeto físico para nos sentirmos na posse de alguma coisa.

O livro é uma plataforma para a leitura, assim como o foram o papiro, o couro e a pedra. A cada mudança no que os acadêmicos chamam de “residência da leitura”, passou tempo até que as pessoas se acostumassem com a nova forma de ler.

Assim como se deu com a escrita, pois há quem sinta falta da máquina de escrever e odeie o computador com seus processadores de texto. Os que sentiam saudades da escrita a mão já não existem mais. As coisas mudam, quase sempre de maneira diferente da nossa vontade.

O poeta Sá de Miranda, nos anos 1500 escreveu no seu célebre soneto:


“Ó cousas, todas vãs, todas mudaves,
Qual é tal coração que em vós confia? “
Postar um comentário