quinta-feira, 7 de maio de 2015

Prostitutas

Elas estão sobretudo na Avenida Atlântica exibindo o corpo para os automóveis que passam. Os clientes as embarcam após rápida negociação e partem para a breve aventura. Mas também existem os supermercados do sexo como o Barbarella e a boate Help, que até há pouco existia no terreno onde surge o novo Museu da Imagem e do Som.

Os turistas e os negociantes que vêm ao Rio constituem a base da clientela. Eles chegam informados sobre os pontos onde elas estão, as mais caras e as mais baratas. As que trabalham na rua são as mais exploradas, pelo gigolô que lhes vende proteção ou pela polícia que as reprime e persegue.


Elas são muitas e são jovens, algumas são belas. Desapareceram as prostitutas velhas de antigamente. O garçom de um botequim me explicou porque hoje elas são tão jovens. Morrem muito cedo, me disse. As drogas as matam antes dos trinta anos de idade.
Postar um comentário