domingo, 27 de abril de 2014

A face do mistério

Para os religiosos, o mistério não é para ser desvendado porque situa-se no campo inquestionável da fé. Mas a inteligência tem desafiado a fé e procurado a explicação de tudo. Desde os filósofos gregos e da descoberta do Sol como centro de um sistema de planetas onde estamos confinados e vivemos nossa curta vida. A aventura humana na busca do conhecimento trouxe também a consciência do quanto somos limitados e como é ampla a nossa ignorância.

Somos prisioneiros num labirinto e nele nos perdemos olhando para o infinito procurando enxergar na escuridão. Desconhecemos a causa da existência e o efeito dos fenômenos, perguntamos se há vida em outros pontos da galáxia. O homem olha para o céu e se interroga sobre a enorme solidão da sua espécie.


Acordamos há pouco e tateamos na sombra imensa, escura, desconhecida. Diante de nós encontra-se a compreensão do que buscamos desde sempre, nosso pensamento toca na superfície e recua com medo da descoberta. Este é o desafio que transcende a lucidez e mergulha o espírito na loucura para entender o caos.
Postar um comentário