domingo, 11 de agosto de 2013

Ilusões

A capacidade de sonhar mantem os homens vivos. E evita a auto-destruição e a loucura. O mundo não passaria de uma multidão muito mais ensandecida do que é se não fosse a imaginação, a possibilidade de romper a lógica do pensamento e da razão e mergulhar no escuro.

Tudo o que gerou conquistas humanas teve origem na fantasia. Pensar é o exercício da liberdade que leva a romper o cerco do real e explorar o desconhecido. Apesar do medo do que não se conhece, do terreno que nunca foi explorado antes. É daí que vem o temor de romper a fronteira da lógica, imposta pela cultura e pela mentalidade da época em que se vive.

Baudaleire dizia que a imaginação é parente do infinito. E Byron apostou na embriaguez como forma de ultrapassar os limites do comportamento intelectual do seu tempo: “the best of life is but intoxication”.  Foi o mesmo poeta que disse que na solidão é quando estamos menos sós.


A imagem que ilustra o post é da autoria de Van Gogh: Girassóis.
Postar um comentário