sábado, 15 de agosto de 2015

Evolução


Ao longo da evolução de sua espécie, a raça humana alimentou o mito de afastar-se de sua origem, a mesma de todos os animais da Terra. Imaginou-se como imagem e semelhança de Deus, aspirou à santidade e alimentou a idéia de justiça e liberdade,  na qual seria feliz. A luta pela superação significava ser livre das amarras da condição humana e do que ela possui de frágil, injusto, confuso, estúpido e violento.

A história do homem, no entanto, tem mostrado como se sucede de modo desigual e muitas vezes decepcionante. Convivem até hoje sociedades que conquistaram um grau mais avançado de civilização com outras que continuam na pré-história. E os massacres, genocídios, tortura e violência indiscriminada exibem suas imagens recorrentes no espelho da humanidade.


Os pessimistas vêem a civilização como um belo projeto imaginado na antiguidade clássica, a partir dos grandes filósofos gregos, que infelizmente não deu certo. O quadro de miséria humana espalhado pelo mapa do mundo de hoje, como sempre o foi em todas as épocas, exibe rancor, cobiça, ignorância e ódio construindo o medo da felicidade que o homem idealizou mas que no íntimo nunca desejou.
Postar um comentário