domingo, 23 de agosto de 2015

Caos


Os que se sentem felizes acomodam-se na contemplação da própria felicidade. Para dela usufruir. Mas foi a angústia humana e seus conflitos que permitiram a conquista do pensamento, da arte e do conhecimento. Até onde foram possíveis. Os que são felizes contentam-se, os angustiados procuram, desesperadamente, mudar o mundo.

A vida é feita de inesperados, não existe um roteiro divino, transcendental, onde estão previstos o destino, seus percalços e seus incidentes. É assim também com a história do mundo que habita este planeta minúsculo, perdido na imensidão do universo infinito. Estariam, pois, enganados os que pensam que nada acontece por acaso.


O acaso fez com que surgisse a vida nesta esfera perdida. Bilhões de anos já se passaram e a lenta evolução do primata ainda não foi capaz de entender a idéia de algo que não tem fim. Nem começo. O caos prevalece como a explicação da origem e do fim de tudo o que está vivo e do que ainda viverá.
Postar um comentário