domingo, 18 de maio de 2014

Piaba

Há muitos anos, há distantes, longos anos, quando todos ainda estávamos vivos, sentávamos às margens do Capibaribe e, noite a dentro, procurávamos entender o mundo. Em nossa volta juntavam-se meninos de rua, pequenos delinquentes que viviam de pequenos furtos mas que não nos incomodavam.

O líder desses meninos – Piaba – ganhou o apelido pela técnica de pular no rio e nadar rapidamente até a outra margem quando a polícia o perseguia. Contou que só conseguiram lhe prender uma única vez mas fugiu do reformatório na primeira semana e voltou para as margens do rio e para as ruas do Recife.


Uma noite discutíamos o valor das coisas e um dos amigos revelou estar juntando algum dinheiro para uma caneta Parker 51. Na noite seguinte, recebeu de Piaba uma de presente. Não quis aceitar, mandou que fosse devolvida de onde viera e, mais uma noite depois, Piaba informou que tinha vendido a caneta e podia nos pagar uma cerveja.
Postar um comentário