segunda-feira, 3 de março de 2014

Imagens

Na memória residem fatos vividos ou imaginados. Alguns  povoam o inconsciente, um estranho território existente alem da memória. Neles permanece a dor mas o prazer desaparece dissolvido em brumas, chuva, trevas e neblina densa. O pensamento às vezes volta à infância, um lugar cada vez mais distante, para tornar a viver instantes fugidios.

Na esteira da memória se dispõe também o que não foi vivido inteiramente mas se fez presente no sonho e fez uma criança exausta despertar do sono. Sombras no lugar de algo que deveria existir no horizonte alem da realidade, depois das fronteiras imaginadas.


É como vaguear no espaço delimitado no silêncio das madrugadas, igual a bolhas de ar no mergulho profundo; no vazio dos desvãos de oceanos desconhecidos. Espaços que parecem infinitos mas são enganosos, conduzem a nenhum lugar, refletem apenas o assombro de meninos diante do impossivel e dos segredos residentes no mistério.
Postar um comentário