quinta-feira, 18 de julho de 2013

Esperando o Papa

Eles já chegaram, os peregrinos brasileiros, e estão espalhados pelo bairro. Diferentes dos turistas do verão, que são muito brancos, muito louros, avermelhados de sol. Estes que chegam agora possuem tez diferente. São morenos, feições mestiças da raça brasileira mas com a mesma curiosidade sobre o bairro famoso, falsamente rico e cosmopolita em grande parte do ano.

No metrô, fotografam as escadas e os tapetes rolantes e uns aos outros, sempre em grupos alegres, excitados. Alguns cantam em coro músicas que nunca ouvi. Reconhecíveis à distância, diferenciam-se por uma maneira simples no vestir e que transmite a impressão de um estilo meio por fora da moda do momento.


Entre os turistas louros que vêm em busca do sol do verão e estes que esperam o Papa no inverno, há em comum o gosto pelas sandálias de dedo. Uns são alegres e gregários, ruidosos e curiosos. Os outros, os louros e muito brancos, são solitários, andam em pequenos grupos. Sóbrios e calados, expandem certa alegria quando estão juntos, sentados, bebendo cerveja nos bares que ocupam as calçadas de Copacabana.
Postar um comentário