domingo, 10 de fevereiro de 2013

Maria


Os bares têm alma e personalidade. Elas se juntam para criar o clima que os faz se transformarem no sentimento de propriedade dos seus frequentadores. Ernest Hemingway participou da libertação de Paris no exército dos partisans do General Leclerc mas afirmou que seu único interesse era a libertação do bar do Hotel Ritz, que ele amava.

O dono, às vezes um determinado garçon, a clientela, o tipo e a qualidade da bebida e da comida, tudo se junta para criar o clima que faz um botequim ser amado pelos seus habitués. É o seu maior capital, seu patrimônio imaterial .

E há o serviço, a atenção para com os clientes, que muitas vezes se liga ao talento de uma determinada pessoa, como é o caso de Maria, que comanda com energia o atendimento do Real Chope, em Copacabana. Ela treina, supervisiona os garçons e se veste para as grandes datas, como o faz neste carnaval.
Postar um comentário