segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Primavera


Como faz todos os anos, a primavera chegou com seu clima úmido e sua indecisão entre o frio e o calor. As estações se confundem em nosso país e muitas vezes o verão invade o inverno e um outono de chuvas atropela a primavera. Mas ela chegou, confusa, a primavera. Para nos lembrar da passagem do tempo nas estações que se sucedem e que avistamos da janela do trem da vida.

Copacabana sempre sofre a febre do verão, quando a agitação das praias acrescenta mais energia ao caos. Este ano o fervilhar dos domingos de sol parece ter se antecipado. Os meninos sem dinheiro começam a chegar da periferia em busca de espaço e marcam sua presença numa linguagem de violência e susto. O bairro tenta recusa-los e ergue barreiras de discriminação e ódio.


Como todos os anos, o calor se aproxima para construir a violenta paisagem. Os bares ficarão cheios, as mulheres semidespidas, os turistas suados e vermelhos do sol que tanto procuram. O velho no bar em frente é o sobrevivente do grupo dos quatro velhinhos gays que se reuniam na mesma mesa, aos primeiros sinais do calor, para ver a passagem dos rapazes queimados de sol na direção do mar que é azul na primavera.


Postar um comentário