sábado, 18 de julho de 2015

Adeus, amigo.
Na tua forma suave de viver,
foste do melhor que a humanidade poderia produzir.
Os homens são apenas o seu tempo, nada deixarão
após sua passagem, mas de ti ficam o sorriso suave,
o olhar terno, o pensamento solidário.
Em tua despedida,
vejo que a vida é apenas isso:
a forma do passado que vivemos
e os espaços vazios do futuro.
Palavras como amor vão se tornando inúteis

mas tu sabias que nunca deixaram de existir.
Postar um comentário