domingo, 21 de novembro de 2010

Gerentes


O mundo gerencial criou um tipo humano que confronta sua própria humanidade na busca de resultados. Tanto nos escalões da empresa privada quanto na gerida pelo estado, a psicologia dos executivos não tem diferenças, pois eles procuram desesperadamente agir com a razão e a lógica da objetividade.

Creio que a frieza lógica e o desejo de decidir sem perda de tempo tem sua origem na linha industrial fordiana de montagem. Cada peça precisa se encaixar em segundos e não há tempo para pensar, pois qualquer reflexão pode significar um acidente ou, pior, prejuizo financeiro.

Eles têm uma tarefa difícil, ao interpretar o mundo com a lógica que aprenderam. Os alvos humanos são móveis e não esperam, por isso decepcionam. Os executivos procuram desesperadamente não errar, não têm dúvidas. São personagens trágicos, de vida angustiada. Como heróis da tragédia grega, seu destino não pode ser evitado.
Postar um comentário