segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Rastros


A vida não possui um roteiro. Sem plano traçado, nela tudo pode acontecer. Mesmo as mentes fanaticamente disciplinadas, que planejam tudo e procuram antecipar todas as ações e reações diante do mundo são surpreendidas pelo acaso. O caos é o estado do mundo e há mais certeza num lance de dados do que na vida imaginada. O próprio universo confunde-se com o indecifrável destino de todas as coisas. Há mistério nos astros, nas plantas e no pensamento dos homens.

A busca desesperada pelo conhecimento distanciou a espécie humana dos outros animais e aprimorou sua inteligência. No vértice da pirâmide do mundo e do entrelaçar das múltiplas existências da Terra, os homens descortinaram seus limites e neles enxergaram o infinito; experimentaram a morte e inventaram a eternidade. Condenados ao pecado, construíram o perfil dos santos; ignorando o próprio destino, acreditaram na certeza vendida pelos demiurgos.


A consciência transformou-se em loucura, todos os momentos de um tempo imaginário transformaram-se e confundiram-se em trevas e claridade. Há uma luz negra que perturba as consciências enquanto toca uma música estranha e os fantasmas ensaiam a sua dança. Os profetas anunciam o fim de tudo mas as plantas brotam, as crianças nascem, os bichos correm, subitamente param e lambem as suas crias.
Postar um comentário