sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Pequeno (novo) poema



Uma criança nos olhava e adormecia


Releio confissões e percorro o labirinto
de um louco despertar do dia.
Os olhos, no entanto, a pressentir a noite,
o entardecer assinalando a madrugada fria.

Lembrávamos desse dia, seus segredos.
Uma mulher acenava na distância,
um lírio crescia em sua boca,
uma criança nos olhava e adormecia.
Postar um comentário