quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Marcha-lenta



Ronaldo foi um homem risonho e tranquilo, de  bela estampa, olhar agradável e tez amorenada como se vivesse o ano inteiro no verão de Cabo Frio. Seu apelido -  “marcha lenta” - ironizava a maneira sincopada que tinha de falar, onde se percebia sempre um toque de sabedoria.

A lentidão no falar tinha origem, diziam, no  hábito de fumar canabis. Mas ele costumava inventar também novas formas de beber. Um dia, apareceu com a inusitada combinação de maçã verde e champagne, que se revelou interessante a todos que experimentamos.

Trouxeram-me a notícia da sua morte no mar. O corpo foi descoberto na manhã de dezembro, indo e voltando, ritmadamente como sua fala, na altura da arrebentação das ondas da Praia Grande, em Arraial do Cabo. 
Postar um comentário