segunda-feira, 12 de novembro de 2012

A língua geral



A língua geral era o idioma mais falado no Brasil até 1757, quando o Marquês de Pombal a proibiu, expulsou os jesuitas e obrigou o país a falar português. Foram os bandeirantes que a disseminaram país afora e o Padre José de Anchieta escreveu a sua Arte de Gramática da Lingoa mais usada na costa do Brasil, pois queria ser entendido na catequese dos índios. A língua era essencialmente o tupi. Fernão Dias Paes Leme, dizem os registros, não falava português.

Depois da proibição, o velho idioma refugiou-se no dialeto caipira. Até hoje, no interior de São Paulo e em quase todo o Centro-Sul, os rr prounciados com lingua travada no céu da boca são resquícios da língua geral. Nas emissões de rádio e TV dessas regiões, e até na leitura de votos dos juizes do STF que vieram de São Paulo ou do interior, podemos ouvir ainda o eco das vozes do Brasil de antigamente.

Um comentário:

Vampira Dea disse...

Oía, não sabia disso