terça-feira, 6 de julho de 2010

Na Lapa


Depois do almoço no Bar das Quengas, Julio pega um taxi para Botafogo e eu resolvo perambular um pouco pela Lapa. Desço vagarosamente a Rua do Rezende. Muitas lojas de antiguidades e uma de serviços funerários onde dois homens sentados em volta de uma mesa dão gargalhadas.

Tinhamos conversado, durante o almoço, sobre a decadência e a ressurreição da Lapa. Nos anos trinta, foi bairro boêmio vibrante e polarizador que o amigo, nascido na Argentina, comparou a Santelmo, na Buenos Aires da mesma época. Ressonou abandonada dos anos sessenta até os noventa, quando começou a se espreguiçar e despertar do sono da decadência. Hoje, é um lugar interessante.

Atravesso Inválidos, Gomes Freire, Lavradio. Mesmo nessas horas da tarde o comércio se movimenta. Os restaurantes estão meio vazios, esperando o fervilhar da noite. No Circo Voador, ensaia uma ruidosa banda. Em frente aos arcos, uma graciosa menina faz pose para um fotógrafo. Com o celular, aproveitei a cena e fiz a foto que ilustra o post.
Postar um comentário