quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Inverno


O inverno é de chuva emoldurando o frio. A ventania chega a inverter os guarda-chuvas e torna horizontal as águas tempestuosas que humedecem as ruas mas afastaram o risco de rios secos e falta d’água. O Tejo quase se transformara num riacho, assim como o Douro em suas nascentes na Espanha. O tempo cor de chumbo mistura-se ao escuro granito que esculpe a identidade do Porto.

Turistas passeiam pelas ruas, movimentam a cidade que não perde sua beleza. Meninas louras quase não sentem a intensidade do frio, acostumadas com o inverno dos países de onde vieram. O mendigo da esquina da Rua de Sá da Bandeira faz dias que não aparece. Os bares estão vazios, poucos clientes diante de uma xícara de café ou de um cálice de aguardente.

Na passagem do ano, jovens corajosos mantiveram a tradição do primeiro banho de mar e mergulharam nas águas geladas do Atlântico Norte. A cidade cinza começa a sonhar com a primavera. As gaivotas quase sumiram, as nuvens se acumulam e o céu esconde-se nos dias de cor noturna.


Postar um comentário